Pastor questiona indicações políticas de líderes evangélicos: "Urubus tentando se fazer de pombos"

Senti falta do espaço de opinião, diz Rachel Sheherazade
17 de abril de 2014
Ciência não desmente existência de Deus, afirma matemático
17 de abril de 2014



Escritor criticou a postura de muitos líderes ao indicar candidatos que não querem trabalhar pela sociedade.O escritor Rubens Teixeira fez uma publicação em sua página no Facebook alertando para o uso de termos como "pastor” e "bispo” para disputar cargo político.
Para Teixeira, que é membro da Assembleia de Deus no Rio de Janeiro, "isso é apelação e enrolação”. "Precisamos de políticos comprometidos e que tenham feito o bem para a sociedade, ao longo da vida, antes de concorrerem a qualquer cargo político”, alertou.
Famoso pelo seu posicionamento crítico, o evangélico disse que desconfia dos líderes evangélicos que apoiam candidatos que não trabalham de forma sincera para mudar o país. "Entra eleição, sai eleição e tem muita gente se aproveitando da sua boa fé, da sua inocência e até da sua fé para vender seu voto para alguém”, destacou Rubens.
Na postagem Rubens orienta seus admiradores a fazerem a escolha que eles julguem melhor e não transferir para outra pessoa o direito de escolher um candidato, como muitos fiéis tem feito ao seguir a orientação de lideres religiosos.
"Depois serão seus filhos ou netos que vão estudar em escolas que não ensinam nada, ou mesmo sofrer em hospitais desaparelhados até a morte. Estas mazelas que atingem nossos familiares e amigos não incomodam quem ‘quer nos vender’, muitas vezes usando o nome de Deus e os púlpitos para isso. Cuidado”, alertou o Rubens Teixeira.
Rubens deu o exemplo da parábola do bom samaritano, narrada por Jesus. Para ele o exemplo do sacerdote e do levita que abandonaram o ferido pelo salteador enquanto o samaritano, distante da cúpula religiosa, ajudou o homem ferido é um alerta para os cristãos.

%d blogueiros gostam disto: