JESUS CONTINUA CURANDO

CONSOLADOS PARA CONSOLAR
18 de janeiro de 2016
QUEM PECOU?
19 de janeiro de 2016


JESUS CONTINUA CURANDO.

A paz do Senhor!

É com muita alegria que venho compartilhar com vocês as maravilhas que o Senhor tem feito em minha vida.

Em julho de 2015 meu pai adoeceu e foi levado ao pronto-atendimento da cidade onde mora. Para nossa surpresa, seus exames deram alterações consideráveis e fomos orientados a procurar um nefrologista. Na semana seguinte o levamos e, diante do resultado dos exames, a médica foi taxativa: teriam que ser iniciados os procedimentos para a hemodiálise, pois os seus rins estavam trabalhando abaixo da capacidade suportável. Ficamos chocados com a notícia e ela nos explicou que os rins são órgãos que se adaptam às condições precárias e demoram a dar sinais de qualquer doença. Mas algo me chamou a atenção: ela pediu que repetíssemos os exames e disse que a hemodiálise era inevitável, a não ser que acontecesse algum MILAGRE, pois para Deus não há nada impossível. Aquilo ficou em meu coração e guardei essas palavras. Falei com a minha mãe: “meu pai não vai fazer a hemodiálise”. 

Repetimos os exames e os resultados foram piores que o primeiro. Mas eu não desanimei. Apenas acreditei. Minhas irmãs ficavam lendo tudo sobre hemodiálise e eu cheguei a fazer o mesmo. Deus tocou em meu coração para parar já que eu acreditava que ele não iria precisar disso. A médica pediu para ele conversar com os pacientes da hemodiálise para trocar experiências. Foi aí que eu vi como o inimigo trabalha! Aquelas pessoas aparentemente felizes, falando que levavam uma vida normal e que até se divertiam durante as sessões com conversas animadas.

Eu me perguntava como essas pessoas poderiam ser felizes presas à uma máquina por 4 horas, 3 vezes por semana e longe de suas casas (a hemodiálise é feita em uma cidade vizinha a 35 Km de distância). Como elas poderiam aceitar essa condição sendo que a palavra de Deus nos diz : “Verdadeiramente ele tomou sobre si as nossas enfermidades, e as nossas dores levou sobre si; e nós o reputávamos por aflito, ferido de Deus, e oprimido. Mas ele foi ferido por causa das nossas transgressões, e moído por causa das nossas iniquidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados” (Isaías 53:4,5).

O tempo foi passando e nada melhorava. Meu pai estava sofrendo muito, pois sua dieta era restrita e isso o entristecia. Minha mãe, com todo o carinho, passou a viver exclusivamente para ele (como ela era enfermeira, ele era muito bem cuidado). Mesmo com as grosserias de meu pai, ela se mantinha sempre ali, carinhosa e atenciosa. Nunca vi sair de sua boca uma palavra de reclamação sequer. Pelo contrário, ela sempre agradecia a Deus por ter saúde para cuidar dele, já que também é idosa (ela tem 65 anos, mas parece ter 40!). Sempre que eu ia lá me sentia renovada com a sua força e continuava a luta.

A igreja que eles frequentam entrou em intercessão e uma médica cubana que trabalhava no pronto-atendimento, ao lhe dar os medicamentos, se identificou como membro da igreja deles e também profetizou que meu pai não iria fazer a hemodiálise. Isso aumentava a minha fé, pois infelizmente procuramos sinais para apoiar a nossa fé. Pedi ajuda ao pastor Henrique, homem muito abençoado e usado por Deus através do Ministério Atalaia e reforcei as minhas armas espirituais com um longo jejum.

Muitas pessoas em meu trabalho me viam desgastada, emagreci nesse período e tinha aparência cansada, o que gerava a curiosidade de algumas colegas. Mas eu dizia que tudo “estava bem” como a mulher sunamita falou com Eliseu: “Agora, pois, corre-lhe ao encontro e dize-lhe: Vai bem contigo? Vai bem com teu marido? Vai bem com teu filho? E ela disse: Vai bem. Chegando ela, pois, ao homem de Deus, ao monte, pegou nos seus pés; mas chegou Geazi para retirá-la; disse porém o homem de Deus: Deixa-a, porque a sua alma está triste de amargura, e o Senhor me encobriu, e não me manifestou (2 Reis 4:26,27).

O tempo passou e, numa das consultas de rotina, foi agendada uma cirurgia para a colocação de uma fístula em meu pai para iniciar a hemodiálise. Mas esta não deu certo e ele pensou em desistir de tudo. Mas depois de algum tempo ele retornou e pediram novos exames para que ele colocasse a fístula. Ele fez os exames e os apresentou ao médico no dia 14 de janeiro (véspera de seu aniversário de 79 anos) e o médico, ao ler os exames, ficou perplexo: ele nunca viu isso acontecer com uma pessoa dessa idade! Até a glicose estava bem abaixo do normal. Diante disso, ele suspendeu a hemodiálise e manteve os medicamentos e a dieta somente.

Que presente de aniversário! Meu pai quase chorou diante da notícia! E eu creio que Deus vai continuar a obra que começou e ele vai ser liberto desses medicamentos. Creio que em breve estarei dando esse novo testemunho. Escrevo para animar a todos que pensam em desistir no meio do caminho. Saibam que Deus é Fiel e não deixa um filho desamparado. Por isso lute e descanse no Senhor porque a vitória certamente virá!

Que Deus possa abençoar a todos que lerem esse testemunho. Peço desculpas pelo texto extenso, mas não poderia deixar de relatar todos os cuidados do Senhor.

Um abraço a todos!

Kethlin

CONSOLADOS PARA CONSOLAR
18 de janeiro de 2016
QUEM PECOU?
19 de janeiro de 2016


JESUS CONTINUA CURANDO.

A paz do Senhor!

É com muita alegria que venho compartilhar com vocês as maravilhas que o Senhor tem feito em minha vida.

Em julho de 2015 meu pai adoeceu e foi levado ao pronto-atendimento da cidade onde mora. Para nossa surpresa, seus exames deram alterações consideráveis e fomos orientados a procurar um nefrologista. Na semana seguinte o levamos e, diante do resultado dos exames, a médica foi taxativa: teriam que ser iniciados os procedimentos para a hemodiálise, pois os seus rins estavam trabalhando abaixo da capacidade suportável. Ficamos chocados com a notícia e ela nos explicou que os rins são órgãos que se adaptam às condições precárias e demoram a dar sinais de qualquer doença. Mas algo me chamou a atenção: ela pediu que repetíssemos os exames e disse que a hemodiálise era inevitável, a não ser que acontecesse algum MILAGRE, pois para Deus não há nada impossível. Aquilo ficou em meu coração e guardei essas palavras. Falei com a minha mãe: “meu pai não vai fazer a hemodiálise”. 

Repetimos os exames e os resultados foram piores que o primeiro. Mas eu não desanimei. Apenas acreditei. Minhas irmãs ficavam lendo tudo sobre hemodiálise e eu cheguei a fazer o mesmo. Deus tocou em meu coração para parar já que eu acreditava que ele não iria precisar disso. A médica pediu para ele conversar com os pacientes da hemodiálise para trocar experiências. Foi aí que eu vi como o inimigo trabalha! Aquelas pessoas aparentemente felizes, falando que levavam uma vida normal e que até se divertiam durante as sessões com conversas animadas.

Eu me perguntava como essas pessoas poderiam ser felizes presas à uma máquina por 4 horas, 3 vezes por semana e longe de suas casas (a hemodiálise é feita em uma cidade vizinha a 35 Km de distância). Como elas poderiam aceitar essa condição sendo que a palavra de Deus nos diz : “Verdadeiramente ele tomou sobre si as nossas enfermidades, e as nossas dores levou sobre si; e nós o reputávamos por aflito, ferido de Deus, e oprimido. Mas ele foi ferido por causa das nossas transgressões, e moído por causa das nossas iniquidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados” (Isaías 53:4,5).

O tempo foi passando e nada melhorava. Meu pai estava sofrendo muito, pois sua dieta era restrita e isso o entristecia. Minha mãe, com todo o carinho, passou a viver exclusivamente para ele (como ela era enfermeira, ele era muito bem cuidado). Mesmo com as grosserias de meu pai, ela se mantinha sempre ali, carinhosa e atenciosa. Nunca vi sair de sua boca uma palavra de reclamação sequer. Pelo contrário, ela sempre agradecia a Deus por ter saúde para cuidar dele, já que também é idosa (ela tem 65 anos, mas parece ter 40!). Sempre que eu ia lá me sentia renovada com a sua força e continuava a luta.

A igreja que eles frequentam entrou em intercessão e uma médica cubana que trabalhava no pronto-atendimento, ao lhe dar os medicamentos, se identificou como membro da igreja deles e também profetizou que meu pai não iria fazer a hemodiálise. Isso aumentava a minha fé, pois infelizmente procuramos sinais para apoiar a nossa fé. Pedi ajuda ao pastor Henrique, homem muito abençoado e usado por Deus através do Ministério Atalaia e reforcei as minhas armas espirituais com um longo jejum.

Muitas pessoas em meu trabalho me viam desgastada, emagreci nesse período e tinha aparência cansada, o que gerava a curiosidade de algumas colegas. Mas eu dizia que tudo “estava bem” como a mulher sunamita falou com Eliseu: “Agora, pois, corre-lhe ao encontro e dize-lhe: Vai bem contigo? Vai bem com teu marido? Vai bem com teu filho? E ela disse: Vai bem. Chegando ela, pois, ao homem de Deus, ao monte, pegou nos seus pés; mas chegou Geazi para retirá-la; disse porém o homem de Deus: Deixa-a, porque a sua alma está triste de amargura, e o Senhor me encobriu, e não me manifestou (2 Reis 4:26,27).

O tempo passou e, numa das consultas de rotina, foi agendada uma cirurgia para a colocação de uma fístula em meu pai para iniciar a hemodiálise. Mas esta não deu certo e ele pensou em desistir de tudo. Mas depois de algum tempo ele retornou e pediram novos exames para que ele colocasse a fístula. Ele fez os exames e os apresentou ao médico no dia 14 de janeiro (véspera de seu aniversário de 79 anos) e o médico, ao ler os exames, ficou perplexo: ele nunca viu isso acontecer com uma pessoa dessa idade! Até a glicose estava bem abaixo do normal. Diante disso, ele suspendeu a hemodiálise e manteve os medicamentos e a dieta somente.

Que presente de aniversário! Meu pai quase chorou diante da notícia! E eu creio que Deus vai continuar a obra que começou e ele vai ser liberto desses medicamentos. Creio que em breve estarei dando esse novo testemunho. Escrevo para animar a todos que pensam em desistir no meio do caminho. Saibam que Deus é Fiel e não deixa um filho desamparado. Por isso lute e descanse no Senhor porque a vitória certamente virá!

Que Deus possa abençoar a todos que lerem esse testemunho. Peço desculpas pelo texto extenso, mas não poderia deixar de relatar todos os cuidados do Senhor.

Um abraço a todos!

Kethlin

%d blogueiros gostam disto: