E PECADO E MORTE

O JOVEM QUE AMAVA OS SEUS BENS
5 de fevereiro de 2018
E HONRA O PAI E O FILHO
6 de fevereiro de 2018


“Que diremos pois? Permaneceremos no pecado, para que a graça abunde? De modo nenhum. Nós, que estamos mortos para o pecado, como viveremos ainda nele?” (Romanos 6:1-2)

 

          Já ouvi muitas pessoas que se dizem cristãs afirmarem que são conscientes de algum pecado que estão praticando ou que vão praticar, mas que descansarão nas misericórdias do Senhor. Mas o que essas pessoas, esses infelizes, não sabem é que não podemos de maneira nenhuma continuar no pecado depois que descobrimos que é pecado; não podemos prosseguir, porque estaremos pisando no Sangue do Filho de Deus. Não podemos insistir no pecado na esperança de que com isso podemos testemunhar amanhã ou depois o perdão, a salvação do Senhor, mesmo porque para essas pessoas não haverá um amanhã para testemunhar. O Senhor nos chama para o arrependimento, a mudança, e isto é para o dia chamado hoje. Sabemos que arrependimento é diferente de remorso, porque o primeiro é mudança, é abandono do pecado, já o segundo é somente o peso da culpa, e o nosso adversário sabe muito bem usar isso contra nós. Mas se realmente nos convertemos ao Senhor, se podemos abrir a boca e afirmar que somos cristãos, que somos evangélicos, que somos discípulos de Jesus, então temos que estar mortos para o mundo. Temos que estar mortos para o pecado, isto é, saber que nada no mundo pode nos atrair se sabemos que é contra a Palavra de Deus. Se morremos para o pecado, então não o pratiquemos; se somos mortos para o mundo, então não mintamos, não forniquemos e nem adulteremos, não desejemos mal ao nosso semelhante, não sejamos desonestos. Se estamos mortos para o pecado, não existem atrativos no mundo que possam nos desviar, porque, assim como uma pessoa morta não pode voltar à vida para desfrutar de seus prazeres, nós também não podemos sair novamente para praticar qualquer pecado ou ato que sabemos que é pecado. Portanto, não podemos em hipótese alguma permanecer no pecado, não podemos praticá-lo, porque somos mortos para ele, e se ainda não somos, então devemos procurar mortificar as nossas carnes com urgência, antes que trilhemos um caminho sem volta. Somos peregrinos aqui, não estamos a passeio, não estamos aqui para desfrutar das coisas, dos prazeres do mundo, mas devemos brilhar como luz, temos que mostrar a face de Cristo. Aqui não é o Paraíso para onde devemos caminhar, não é lugar de descanso para relaxarmos, é um campo de guerra em que devemos sempre com a espada infamante combater o bom combate. Temos que andar constantemente em vigilância, em espírito, e não satisfazendo a vontade da nossa carne.

 “Ou não sabeis que todos quantos fomos batizados em Jesus Cristo fomos batizados na sua morte?” (Romanos 6:3). Não podemos nos enganar, porque o nosso batismo foi na morte de Jesus Cristo; para podermos ter vida, foi necessário o Filho de Deus morrer em nosso lugar. Quando nos batizamos, assumimos a sua morte e passamos a viver, a desfrutar dessa morte, mas se estivermos pensando que, ao irmos para Cristo, ao nos batizarmos, estaremos assumindo a vida aqui, a vida de Cristo, e que, portanto, Ele nos dará recompensas aqui, que nos fará reinar aqui, com certeza estaremos enganados, porque a Promessa de vida não é aqui, e sim junto ao Pai. Vida eterna e abundante. As pessoas fazem muita confusão, e ainda existem pregadores especialistas em difundir ensinos heréticos, mentiras, pregadores que convidam o povo para Cristo, dizendo que os seus problemas acabarão, que viverão felizes e serão vitoriosos aqui. Mas isto é mentira, na verdade, quando a pessoa se converte, quando se batiza em Cristo, é quando se iniciam os problemas aqui, porque passa a ser luz em um mundo de trevas. Portanto, acusações, perseguições são normais e esperadas, porque passam a viver mortos para o mundo que vive no e para o pecado, um mundo que jaz em trevas.De sorte que fomos sepultados com Ele pelo batismo na morte; para que, como Cristo foi ressuscitado dentre os mortos, pela Glória do Pai, assim andemos nós também em novidade de vida. Porque, se fomos plantados juntamente com Ele na semelhança da sua morte, também o seremos na da sua ressurreição; Sabendo isto, que o nosso homem velho foi com Ele crucificado, para que o corpo do pecado seja desfeito, para que não sirvamos mais ao pecado.” (Romanos 6:4-6). O corpo do pecado, nosso velho homem, a velha mulher, tem que ser sepultado no batismo, temos que começar a viver a vida de Cristo, para que também como Ele sejamos ressuscitados, para que possamos ter vida eterna Nele. Caso contrário, seremos religiosos somente e padeceremos por toda a eternidade, isto se preferirmos desfrutar dos prazeres e vontades da carne aqui. Assim, temos que assumir a nossa morte, assumir a morte de Cristo para que tenhamos vida, porque, se não, somos hipócritas e mentirosos, uma vez que somente citamos o Nome do Senhor. Temos que parar com essas invenciones de querer que Cristo nos dê o que não prometeu, deixar de querer desfrutar de boa vida aqui, e nos render ao Senhor, assumirmos a sua morte. Assim, não aceitamos e não permitimos nenhum pecado em nossas vidas, porque eles serão o que nos impedirá de termos vida, de alcançarmos a Promessa. As pessoas creditam muito ao diabo, mas não perceberam que o diabo trabalha com a nossa vontade, com o nosso desejo, e que, portanto, o nosso maior inimigo somos nós mesmos. Devemos morrer para todos os pecados e desfrutarmos da morte de Cristo, para que tenhamos Vida Nele. “Porque aquele que está morto está justificado do pecado. Ora, se já morremos com Cristo, cremos que também com Ele viveremos; Sabendo que, tendo sido Cristo ressuscitado dentre os mortos, já não morre; a morte não mais tem domínio sobre Ele. Pois, quanto a ter morrido, de uma vez morreu para o pecado; mas, quanto a viver, vive para Deus. Assim também vós considerai-vos certamente mortos para o pecado, mas vivos para Deus em Cristo Jesus nosso Senhor. Não reine, portanto, o pecado em vosso corpo mortal, para lhe obedecerdes em suas concupiscências; Nem tampouco apresenteis os vossos membros ao pecado por instrumentos de iniquidade; mas apresentai-vos a Deus, como vivos dentre mortos, e os vossos membros a Deus, como instrumentos de justiça. Porque o pecado não terá domínio sobre vós, pois não estais debaixo da lei, mas debaixo da graça.” (Romanos 6:7-14). 

Leiam e pratiquem a Bíblia. Que Deus os abençoe.

Um abraço,

Pr. Henrique Lino

%d blogueiros gostam disto: