INVESTINDO EM OURO

O TESTEMUNHO DA IGREJA
31 de agosto de 2018
O ADMINISTRADOR ASTUTO
3 de setembro de 2018



"E, ouvindo eles estas coisas, Ele prosseguiu, e contou uma parábola; porquanto estava perto de Jerusalém, e cuidavam que logo se havia de manifestar o Reino de Deus.” (Lucas 19:11)
 
          Jesus sempre fazia uso de parábolas, que é uma maneira ilustrativa de contar, comentar ou citar um fato. Agora, a caminho de Jerusalém, as pessoas estavam desejosas de que Ele se levantasse, se rebelasse contra César, contra Roma, e principalmente contra as lideranças judaicas, e se tornasse rei físico de Israel. Mas eles assim agiam e pensavam exatamente por causa da ignorância bíblica. Uma vez que as Escrituras citavam o Messias como Rei, eles imaginavam que seria um rei físico, um reinado terreno, não imaginavam que era espiritual. Por isto, quando estava a caminho de Jerusalém, umas pessoas estavam eufóricas, outras temerosas. Jesus então começa a explicar qual é o seu Reino e como será, pois é um reinado sério e de justiça. "Disse pois: Certo homem nobre partiu para uma terra remota, a fim de tomar para si um reino e voltar depois. E, chamando dez servos seus, deu-lhes dez minas, e disse-lhes: Negociai até que eu venha.” (Lucas 19:12-13). Jesus contando a parábola, fala sobre um homem de posses, que resolveu se tornar rei em uma terra distante, e, para se ausentar, entregou dez dinheiros a dez funcionários seus, para que, na sua ausência, eles trabalhassem com o dinheiro para que ele tivesse algum lucro, ou seja, ele ia se ausentar, mas o seu negócio não podia ficar parado, precisava continuar ganhando, até mesmo para custear todas as despesas, inclusive com os funcionários. Ele estava agindo de maneira normal, correta, como qualquer pessoa de negócios, como muitos fazem nos dias de hoje. Agora ele parte para lutar, guerrear, combater, para se autolevantar como rei daquela terra distante. "Mas os seus concidadãos odiavam-no, e mandaram após ele embaixadores, dizendo: Não queremos que este reine sobre nós.” (Lucas 19:14). Mas as pessoas daquela terra a que ele estava se dirigindo enviaram mensageiros ao seu encontro pedindo que ele não fosse, pois eles não queriam, não desejavam que ele fosse o rei deles. Os cidadãos daquela terra não queriam que ele fosse o rei deles, e não sabemos o motivo certo, mas entendemos que aquele homem era uma pessoa justa e capacitada para governar, assim como ele governava sua casa, seus negócios. As pessoas estão tão acostumadas ao erro, às rebeldias, que muitas vezes rejeitam a Verdade, rejeitam o que é melhor, pois preferem viver no anarquismo, mesmo que isso as conduza à morte.
     "E aconteceu que, voltando ele, depois de ter tomado o reino, disse que lhe chamassem aqueles servos, a quem tinha dado o dinheiro, para saber o que cada um tinha ganhado, negociando.” (Lucas 19:15). Esse homem decidido e destemido continuou a sua jornada, lutou e tomou posse do reino e passou a governar sobre aquela terra e aquele povo. Não se esquecendo dos seus negócios, retorna a sua casa e logo pede conta aos seus funcionários de como trabalharam, como aplicaram o dinheiro que ele deixou, entregou a cada um. Esse homem está agindo de maneira correta e justa, e com muita responsabilidade, como qualquer pessoa de bem faria. "E veio o primeiro, dizendo: Senhor, a tua mina rendeu dez minas. E ele lhe disse: Bem está, servo bom, porque no mínimo foste fiel, sobre dez cidades terás autoridade. E veio o segundo, dizendo: Senhor, a tua mina rendeu cinco minas. E a este disse também: Sê tu também sobre cinco cidades.” (Lucas 19:16-19). Chamou um a um os seus funcionários e todos eles se apresentaram individualmente, mostrando-lhe o resultado do trabalho e do investimento que fizeram. Assim, de acordo com o que eles tinham angariado, com os lucros que tinham obtido para o patrão, e cada dinheiro que eles tinham ganho, esse homem dava o mesmo número de cidades do reino que ele agora dominava para eles reinarem, governarem. Observamos que, além de deixar os seus funcionários trabalhando, esse homem também deixou uma missão, que na verdade era um teste de capacitação para cada um deles, para que eles pudessem ter mais responsabilidades. Assim foi sucessivamente até o décimo, e esse veremos que não fez o que o patrão mandou, não honrou, não trabalhou e foi preguiçoso, e ainda tentou justificar a sua negligência. "E veio outro, dizendo: Senhor, aqui está a tua mina, que guardei num lenço; porque tive medo de ti, que és homem rigoroso, que tomas o que não puseste, e segas o que não semeaste.” (Lucas 19:20-21). Esse empregado justifica sua negligência dizendo que sabe da severidade do patrão, que é um homem valente que faz o que quer, e por isto ficou com medo de perder o seu dinheiro e o guardou para devolver-lhe. Assim é a justificativa de muitos, pois Jesus está falando sobre o seu Reinado, mostrando que Ele é Amor, mas, principalmente, é Justiça, e, portanto, age com rigor. E todos nós seremos cobrados. De tudo o que recebemos aqui iremos dar conta a Ele: a inteligência, a capacitação, o patrimônio, tudo o que temos recebemos do Senhor, e não foi para o nosso bel-prazer, mas para agirmos de acordo com as suas determinações. Pessoas que acham que vieram para serem felizes e possuírem tudo e não se preocupam com o próximo, não se preocupam em fazer bom uso do que receberam com certeza receberão um duro castigo. "Porém, ele lhe disse: Mau servo, pela tua boca te julgarei. Sabias que eu sou homem rigoroso, que tomo o que não pus, e sego o que não semeei; por que não puseste, pois, o meu dinheiro no banco, para que eu, vindo, o exigisse com os juros? E disse aos que estavam com ele: Tirai-lhe a mina, e dai-a ao que tem dez minas. (E disseram-lhe eles: Senhor, ele tem dez minas.) Pois eu vos digo que a qualquer que tiver ser-lhe-á dado, mas ao que não tiver, até o que tem lhe será tirado. ” (Lucas 19:22-26) O que tivermos nos será tirado, por não fazermos uso adequado, e será dado a quem faz um bom uso, assim é com conhecimento, pois se o que sabemos sobre Cristo guardamos para nós não divulgamos, não levamos ao conhecimento de outras pessoas, chegará um tempo que nada saberemos, pois, o Espírito de Deus se ausentará de nós aí só restará o sofrimento e a morte eterna. Jesus não veio para reinar aqui na terra, Ele não veio para nos dar riquezas e boa vida aqui, mas o que Ele prometeu é vida e Vida em abundância. Portanto se estamos como estes judeus, hebreus que o queriam como rei físico, para lhes dar boia vida estava enganado, também estamos, pois Ele é Rei eterno, mas espiritual. "E quanto àqueles meus inimigos que não quiseram que eu reinasse sobre eles, trazei-os aqui, e matai-os diante de mim.” (Lucas 19:27).
Leiam e pratiquem a Bíblia. Que Deus os abençoe.
Um abraço,
Pr. Henrique Lino

Se voce está passando por problemas na sua vida espiritual, familiar, profissional, sentimental, com filhos em situação de risco, envolvimento com drogas, ou em processo de separação, divorcio, traído(a) abandonado(a) entre em contato conosco.O Ministério Atalaia do Evangelho de Deus está a sua disposição para aconselhamento, oração, e interseção e orientação, e cobertura espiritual. Visitem nosso site www.atalaiadedeus.com.br – O Ministério Atalaia do Evangelho de Deus tem como objetivo levar a Palavra de Deus. Trabalha voluntariamente com assistência as famílias, para restaurar casamentos e orientação espiritual a todo aquele que necessita de uma Palavra de cura, salvação e libertação. Esse Ministério tem obedecido ao chamado do Senhor, venha fazer parte desse trabalho com sua oração. 

%d blogueiros gostam disto: