Temendo a multidão

A natureza da fé
2 de agosto de 2019
O Grande Mandamento
5 de agosto de 2019

“E buscavam prendê-lo, mas temiam a multidão; porque entendiam que contra eles dizia esta parábola; e, deixando-o, foram-se. E enviaram-lhe alguns dos fariseus e dos herodianos, para que o apanhassem nalguma palavra.” (Marcos 12:12-13)

Durante todo o tempo do Ministério terreno de Jesus Cristo, Ele foi perseguido pelos religiosos, que tudo fizeram para o prender e matá-lo. Mas, como sabemos, os planos de Deus ninguém, absolutamente ninguém nem nada consegue frustrar, e por isso nada aconteceu a Jesus antes do tempo determinado pelo Pai. Jesus veio ao mundo para sofrer em nosso lugar, para ocupar o nosso lugar na cruz, mas tinha o tempo certo já estabelecido pelo Pai, e nada aconteceu ou aconteceria antes, como vimos. Isso não quer dizer que os adversários, os religiosos não tentassem prender Jesus, e foi o que aconteceu. Constantemente eles armavam armadilhas, ciladas para pegar Jesus em alguma coisa e assim poderem acusá-lo formalmente. Podemos observar pessoas falarem que são cristãs, mas a qualquer lutazinha, a qualquer dificuldade começam a reclamar e a clamar por socorro, aí percebemos que nunca conheceram Cristo. Algumas pessoas, quando passam ou enfrentam algum problema (causado ou provocado por elas mesmas), começam a dizer que o diabo as está atacando, e ficam pedindo ao Senhor para libertá-las, elas não aceitam passar por lutas. Essas pessoas entendem que, por serem cristãs, não podem passar por nenhuma dificuldade, que têm o direito de viver e desfrutar o melhor aqui. Elas acham que o Evangelho é uma capa protetora e que nada poderá atingi-las. Mas estão redondamente enganadas e não conhecem o Senhor, porque, se somos discípulos de Jesus, se somos seus seguidores – e Ele foi perseguido o tempo todo – é evidente, é claro que também o seremos. Se o estamos seguindo, sabemos que perseguições, lutas, ataques nos são reservados, mesmo porque o próprio Senhor nos alertou que aqui teríamos lutas. Também disse que, se quisermos segui-lo, devemos tomar as nossas cruzes. Estamos em território inimigo, pois aqui é o lugar somente da nossa peregrinação em direção à vida, aqui não é a nossa casa, é somente um lugar de passagem, porque este mundo jaz (está morto) no maligno. Assim, sabemos que, por aqui ser um lugar de morte, e nós estamos buscando a vida, é claro que os ataques virão, mas, se permanecermos firmes em Cristo, seremos vencedores.
“E, chegando eles, disseram-lhe: Mestre, sabemos que és homem de verdade, e de ninguém se te dá, porque não olhas à aparência dos homens, antes com verdade ensinas o caminho de Deus; é lícito dar o tributo a César, ou não? Daremos, ou não daremos?” (Marcos 12:14). Geralmente o nosso adversário chega com engano, mesmo porque o diabo nunca mostra a cara, como realmente ele é, geralmente se apresenta com algo que nos atrai, com uma cara bonita, pode ser em forma de uma mulher linda, ou homem bonito, ou de dinheiro fácil, algo atrativo, alguma facilidade, algo que nos desafia, ou faça subir nosso ego. Aqui, o diabo, usando esses religiosos, vem até Jesus com uma pergunta capciosa, pois queriam que Ele falasse contra o governo, porque, se assim fosse, teriam do que o acusar. A hipocrisia, a mentira são armas do diabo. Nós vimos quando Jesus estava no deserto e o diabo o desafiou a transformar pedras em pães, ou seja, desafiou o orgulho de Jesus, pois sabia quem Ele era e qual o seu Poder. Mas Jesus não caiu na cilada de satanás. Agora aqui novamente ele chega elogiando Jesus e faz essa pergunta, se é certo pagar imposto ao governo ou não, pois, naquela época, Israel vivia dominado por Roma, por César. Mas Jesus, por sempre estar ligado ao Trono, apesar de estar como homem, como um ser humano, Ele se pautava pela Palavra de Deus, e tudo discernia de acordo com a vontade do Pai. Assim, a resposta que Ele dá não é carnal, mas espiritual, porque não estava preocupado em agradar ninguém. O problema nosso é que sempre queremos nos dar bem, por sermos mesquinhos, avarentos, por desejarmos sempre termos mais e nos agradar. “Então Ele, conhecendo a sua hipocrisia, disse-lhes: Por que me tentais? Trazei-me uma moeda, para que a veja.” (Marcos 12:15). O Senhor conhece o ser humano, conhece a sua maldade e hipocrisia, prova tal que foi a classe mais combatida por Ele, e vemos sempre Ele chamando na cara, no rosto, chamando-os de hipócritas. Jesus aqui novamente os desmascara e pergunta o porquê de o estarem testando, e manda trazerem uma moeda, trazer um dinheiro, porque naquela época não existia dinheiro em cédulas, somente em moedas, e geralmente as moedas eram cunhadas com a figura e nome do rei, do governante, assim Jesus determina que eles tragam uma moeda. “E eles lha trouxeram. E disse-lhes: De quem é esta imagem e inscrição? E eles lhe disseram: De César.” (Marcos 12:16). Quando eles trazem a moeda, Jesus então pergunta a eles de quem é a imagem, a figura estampada na moeda, e quando eles respondem que é de César, o governante, então Ele diz que devem a dar o César o que é de César e a Deus o que é de Deus. Esses ensinamentos servem para todos nós, portanto, devemos aplicá-los em nossas vidas, sabendo que somente assim é que poderemos realmente ser seguidores de Jesus Cristo, e poderemos então abrir as nossas bocas e afirmar que somos cristãos. “E Jesus, respondendo, disse-lhes: Dai, pois, a César o que é de César, e a Deus o que é de Deus. E maravilharam-se Dele.” (Marcos 12:17).
Leiam e pratiquem a Bíblia. Que Deus os abençoe.
Um abraço,
Pr. Henrique Lino

Se você está passando por problemas na sua vida espiritual, familiar, profissional, sentimental, com filhos em situação de risco, envolvimento com drogas, ou em processo de separação, divorcio, traído(a) abandonado(a) entre em contato conosco.O Ministério Atalaia do Evangelho de Deus está a sua disposição para aconselhamento, oração, e interseção e orientação, e cobertura espiritual. Visitem nosso site www.atalaiadedeus.com.br – O Ministério Atalaia do Evangelho de Deus tem como objetivo levar a Palavra de Deus. Trabalha voluntariamente com assistência as famílias, para restaurar casamentos e orientação espiritual a todo aquele que necessita de uma Palavra de cura, salvação e libertação. Esse Ministério tem obedecido ao chamado do Senhor, venha fazer parte desse trabalho com sua oração.

%d blogueiros gostam disto: